Déficit de atenção e hiperatividade infantil

O Distúrbio do Déficit de Atenção (TDA), mais conhecido como Transtorno do déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), é um transtorno caracterizado pela desatenção, impulsividade e hiperatividade ou excesso de energia.

 

Cerca de 6% da população infantil é acometida por este distúrbio, independentemente da etnia, nível de escolaridade, inteligência e condição sócio-econômica.

 

No que diz respeito ao gênero, alguns estudos sugerem que para cada dois meninos existe uma menina com TDA. Entre as meninas a desatenção é o sintoma predominante, enquanto nos meninos predominam os sintomas de hiperatividade/impulsividade.

 

Sinais de alerta importantes para identificar o TDA em crianças e adolescentes:

 

Frequentemente deixam de prestar atenção a detalhes ou cometem erros em diversas tarefas por descuido; Apresentam dificuldade em manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas; Com freqüência parecem não escutar quando lhes dirigem a palavra; Geralmente não seguem instruções e não terminam as tarefas em função da dificuldade de compreender as instruções; Apresentam dificuldade para organizar tarefas e atividades; Perda freqüente de objetos como lápis, brinquedos, cadernos, livros, etc.; Distraem-se facilmente com estímulos alheios à tarefa que estão executando; Com freqüência apresentam esquecimento de atividades que têm o costume de realizar diariamente; Apresentam grande inquietação motora; Dificuldade em permanecer sentados (as) em suas carteiras quando este comportamento é esperado; Freqüentemente correm ou escalam, mesmo quando este comportamento é inapropriado ao local ou situação; Normalmente apresentam-se acelerados, “a todo vapor” ou “a mil” a maior parte do tempo; Falam ininterruptamente, mesmo quando o local ou situação são inapropriados; Apresentam dificuldade para aguardar sua vez; Sentem dificuldade em esperar que alguém finalize uma pergunta para que possam respondê-la.

 

TRATAMENTO DO TDA OU TDAH NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

 

DIAGNÓSTICO   É o primeiro passo. É muito importante dar nome à “confusão” causada pelos sintomas na vida da criança, seus pais e educadores para que possam sentir-se aliviados e amparados.

 

INFORMAÇÃO   Na medida que a criança, seus pais, cuidadores e educadores tomam conhecimento sobre o que é o TDA, podem se tornar mais colaborativos junto ao tratamento. A colaboração dos envolvidos é fundamental para um tratamento eficaz.

 

ESTRUTURAÇÃO   A utilização de ferramentas e práticas pode contribuir para reduzir a “confusão” interior da criança com TDA, aumentar seu autocontrole e propiciar um desenvolvimento adequado.

 

TRATAMENTO PSICOLÓGICO   Objetiva oferecer um suporte psicológico que visa minimizar o sofrimento e os impactos negativos decorrentes do distúrbio na vida dos envolvidos, além de proporcionar à criança o conhecimento sobre seus recursos internos e das varias possibilidades de mudança. A orientação aos pais e cuidadores é fundamental para que estes possam ajudar a criança desenvolver estratégias de habilidades de controle e organização.

 

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO   Contribui para reduzir a sensação de inquietação interior e a ansiedade, proporcionando um alívio. Além de procurar ajuda de um psicólogo. Para esta conduta de interveção é fundamental que a família procure ajuda de um médico, pois somente este profissional está apto a fazer a prescrição da medicação adequada.